quarta-feira, 24 de junho de 2015

E quando seus esforços não são suficientes...



Estava nervosa, porém pronta para tudo isso. Após vários currículos deixados por ai e poucas entrevista, finalmente conseguir um emprego. Não era algo grande, era só uma daquelas lojas de roupas no shopping (loja bem conhecida, mas prefiro não dizer nome).

Havia mais duas pessoas começando naquele mesmo dia, ou seja, eu poderia não está tão nervosa assim, mas com certeza eles já tinham uma carga de experiência ao contrario de mim. Tudo bem, sem desespero, pois nesse momento vocês estão no mesmo nível.

Após a ‘‘reunião’’ com a equipe do segundo turno onde houve a apresentação dos novatos, o desempenho da loja no dia anterior e a meta para aquele dia, fui encaminhada para o meu setor: provador feminino. Eu não podia reclamar, estava ali para ganhar experiência, mas nunca achei que passaria quase toda a experiência no mesmo setor e que alguém pudesse tirar alguma conclusão só disso.

Alguns podem esta se perguntando ‘‘porque você não disse que gostaria de conhecer outros setores?’’, eu disse e obtive a resposta: ‘‘não, você vai ficar lá mais um pouco’’. No começo eu fiquei péssima, como eu mostraria para eles o meu melhor sendo que só ficava no provador? Mesmo assim, continuei fazendo o meu melhor a atendendo os clientes da melhor forma possível.

Ficar no provador até que teve os seus momentos bons, é um local que entra pessoas (no caso mulheres, já que eu estava no provador feminino) de todos os estilos. Desde daquelas que sabe de moda a aquelas que não sabem tanto assim e aquelas que te pendem opinião mesmo sabendo as respostas. O que é bom, pois você acaba avaliando até o seu próprio estilo e ganha um pouco de conhecimento nessa área.

Os únicos momentos ruins que tive no provado, só era pela falta de consciência dos clientes. Aquelas pessoas que pegam varias peças e acaba levando nenhuma ou resolve experimentar justamente quando a loja esta praticamente fechando. Isso é muito chato, porque não é só a pessoa do provador que vai tem que esperar a pessoa sair do provador, os funcionários dos caixas, os que ficam na área e até mesmo os seguranças que ficam na porta da loja.

E ate teve alguns momentos engraçados. Como em um dia em que uma mãe entrou para experimentar uma calça na sua filha de 4 ou 5 anos de idade, o acontecido foi quando essa mãe levou sua filha ate o marido, que estava na porta, para olhar a menininha vestida com a calça. Foi então que a mãe disse: ‘‘olha, até que ficou bom, mas acho que vai ter que cortar os pés‘‘, sei que ela estava falando sobre a barra da calça, mas a criança não entendeu e disse ‘‘mamãe, eu não quero cortar meus pés’’.

Morri de amores pela inocência dessa criança, entretanto logo tive dó dela até porque esse seria um acontecimento que a mãe dela jamais esqueceria, muito menos eu.

As coisas só começam a mudar quando finalmente sair do provador feminino e fui para o setor masculino. Onde fiquei na área, tive mais contato com as pessoas e as ajudei também, mas parece que não notaram muito meus esforços...

Continuo em um próximo post.



3 comentários:

  1. hey eu acho que sei onde você trabalha,pois eu também trabalhei lá hahah sua descrição é o mesmo que aconteceu comigo nesse lugar só que eu fiquei direto na área,mas cobri alguns dias de falta da menina do provador,mas meus dias lá foram deprimente e finalmente eu saí de lá mesmo que eu amasse trabalhar no shopping,mas fazer o que né...eu tinha até pensado de escrever minha experiência no blog,mas deixei pra lá pq fiquei muito chateada com algumas coisas que aconteceram lá mesmo assim valeu a experiência e que eu nunca deixe acontecer comigo novamente!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto sobre sua experiência.
    Adorei a menininha no final do texto hahaha que gacinha gente ♥
    xoxoxo
    cactuspluie.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Amei o seu texto, eu nunca trabalhei também e quero saber muito como é a experiencia, morri de rir com a inocência da criança, tadinha. :)
    http://corujasemasas.blogspot.com.br/
    Beijos! <3

    ResponderExcluir